Loading

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

TU ÉS A MINHA POESIA

Tu és a minha poesia

Em cada canto do teu corpo

Há um verso repleto de amor

Na tua alma há um poema

Confesso que me fazes

Perder no teu corpo

Sabes, no teu corpo encontro luz

No teu sorriso, paz

No teu olhar, ternura

E em ti, há um sentimento profundo

Sim tu és a minha poesia

És o livro que tento ler com paixão

Que desfolho num delírio empolgante

Onde devoro cada página tua

Cada prosa, cada verso, cada poema

Tu és o meu vicio, o meu ópio

A minha cocaina, o sangue quente

Que corre nas veias, me confesso.



Isabel Morais Ribeiro Fonseca



Foto