Loading

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

REINO MARAVILHOSO

REINO MARAVILHOSO


Este meu Trás-os-Montes

Terra fria a cada beijo da fria geada

De nove meses de inverno

Com mantos negros de lã

E três de inferno a cada afago do vento

Vê-se primeiro giestas, um mar de fragas

Nevoeiro num oceano megalítico

Deste Reino maravilhoso

Sente-se amor calado na imensidão

Sente-se a morte num penedo solitário

Vence-se o luto na grandeza de um cinzento

Das noites escuras do agreste amar

Da dor das gentes na inocência vivida

Cravos espetados de mar de fragas

Sentimentos singelos, inocentes, marcados

De lágrimas perdidas, amargas e sentidas

Terras geladas e frias mas quentes como as castanhas

Num cinzento da alma, que só aqui sabe existir

Onde deixei a minha alma, os meus amores

Neste maravilhoso Reino de Trás-os-Montes

Tão certo que ninguém lhe ficará indiferente com certeza.


Isabel Morais Ribeiro Fonseca

Foto