Loading

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

QUE DOR É ESTA


Que dor é esta que me rasga e corrói 

Cada pedaço do meu corpo 

Entre os espinhos desinteressados 

De uma bela flor neste jardim 

Onde os poemas são esquecidos

Rasgados, queimados deitados fora

Numa selha de lágrimas do meu coração

Com as saudades que tenho da escrita 

Onde as palavras são virgens na minha alma.