Loading

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

PROMESSA REINVENTADA

O musgo escorria nos sonhos

Num berlinde entre as insónias 

Folha de papel, branca de segredos


Pedras de tantos escritos, sílabas, pontos

Sentimentos ao abandono pelas ruas

Rosto, rosas, medo, tristeza, lágrimas


Neste musgo que não desaparecia 

Colado num soneto, presente na carne

Sangue, secreto fogo de selvagem força


Asas em desespero que não o deixa sonhar

Murmúrios que habitam na mente

Promessa reinventada de celebrada vida