Loading

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

NÃO MEU AMOR


Não meu amor 

Não chegues em remanso

Olha que o meu silêncio fere-me

Abana faz chocalhar ferozmente

Todas as searas de trigo

Que o vento balança 

Com os risos de ti 

Entre os raios de sol

Agora que o meu coração

Se ajoelhou diante do teu amor 

E as lágrimas de felicidade

Saltam dos teus olhos salgados

Sal do mar doce mel 

Não chegues em mudez

Pois só o teu amor 

Me permite voltar a renascer

Por entre as searas de trigo do teu regaço.