Loading

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

ETERNIDADE


ETERNIDADE 


Não sabes como preciso

Ouvir a tua grossa voz

Como preciso do teu olhar

Daquelas palavras que me chamam 

Preciso de paz, de carinho, de amor

Preciso da luz, da tua boca, dos teus lábios 

Já não posso mais, preciso da flor das tuas mãos

Sinto-me perdida nesta secura que a vida me dá

E quando a minha voz se calar e o meu corpo secar

O meu coração continuará a falar contigo 

Por toda a eternidade entre mil estrelas